cv

cv

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

NOVAS FOTOS MOSTRAM DETALHES DO LOCAL DA QUEDA DO AVIÃO DA CHAPECOENSE

As imagens no Cerro Gordo, morro de 200m de altitude onde a aeronave tombou, são impressionantes. Em meio à fuselagem retorcida do avião e à lama, já que havia chovido muito na noite trágica, aparecem os pertences das 77 pessoas a bordo.






No Cerro El Gordo, chuteiras em meio à lama no local da queda do avião 
da ChapecoenseFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




Junto à fuselagem retorcida do avião, uma imagem de Jesus e uma cruzFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




No detalhe, o símbolo da Fox Sports e pedaços de equipamentos usados em 
reportagens e transmissão de TVFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA /
Agência O Globo




Militar colombiano observa destroços e um pedaço da cabine do avião da
LaMiaFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




Malas destruídas, bolsas, roupas, chuteiras: os pertences das vítimas do
desastre ocorrido em Cerro Gordo, próximo ao aeroporto de Medellín
Foto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




Espalhadas no chão, sacolas de papelão com a marca da ChapecoenseFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




Um pedaço da turbina do avião da LaMiaFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




O avião da LaMia caiu quando estava bem próximo do aeroporto de Medellín
, e conversa do piloto com a controladora de voo mostra que a aeronava estava
sem combustívelFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




Flores e a logomarca da Copa Sul-Americana, cujo primeiro jogo da final 
entre Atlético Nacional e Chapecoense seria disputado em Medellín no
dia seguinte à tragédiaFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo

"O que Jesus espera de seus seguidores", livro que uma das vítimas do desastre com a 
Chapecoense levava no vooFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




Um agasalho da Chapecoense pendurado em galho no Cerro Gordo, local da queda do avião da LaMiaFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




À direita, parte do painel do avião que caiu e matou 71 pessoas, entre dirigentes, jogadores, jornalistas e tripulaçãoFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo
O avião da LaMia tinha quatro motores. Falta de combustível pode ter sido a razão principal do desastre na ColômbiaFoto: Javier Nieto Alvarez - El Tiempo/GDA / Agência O Globo




É possível ver chuteiras, agasalhos, malas e material de todo tipo, que seriam usados pelos profissionais de mídia.




O acidente matou 71 passageiros e tripulantes, incluindo 19 jogadores da Chapecoense, dirigentes do clube e jornalistas que seguiam no voo para fazer a cobertura e a transmissão do jogo que seria disputado na noite de quarta-feira contra o Atlético Nacional de Medellín.
Local da queda do avião da LaMia com delegação da Chapecoense e jornalistas, no Cerro Gordo, município La Unión, na Colômbia - Javier Nieto Alvarez / El Tiempo/GDA
Local da queda do avião da LaMia com delegação da Chapecoense e jornalistas, no Cerro Gordo, município La Unión, na Colômbia - Javier Nieto Alvarez / El Tiempo/GDA
Local da queda do avião da LaMia com delegação da Chapecoense e jornalistas, no Cerro Gordo, município La Unión, na Colômbia - Javier Nieto Alvarez / El Tiempo/GDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário