cv

cv

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Xará de traficante, pai de menina morta em Feira foi vítima de rixa entre bairros

O pai da menina de um ano e três meses morta com um tiro na cabeça na terça-feira (15), em Feira de Santana, tem o mesmo prenome pelo qual é conhecido o alvo do atentado: Diego. Segundo o delegado Gustavo Coutinho, da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana, essa semelhança pode ter desencadeado a tragédia, que tem relação com o tráfico de drogas e a rivalidade entre as regiões da Portelinha e do Aviário.

De acordo com o delegado, quatro homens armados entraram em um Gol preto e seguiram para Portelinha, no bairro Pedra do Descanso, depois que souberam que um desafeto estaria por lá. O desafeto seria Wellington Silva, conhecido como Diego, um traficante foragido da polícia que tem cometido homicídios para dominar o tráfico na região do Aviário.

Chegando lá, os criminosos miraram contra outro Diego, o pai de Ana Beatriz, que é conhecido como Pica-pau, e não tem passagem policial. Diego estava com a criança no colo no momento e ela acabou sendo alvejada. “Há uma rivalidade entre os bairros. Alguém passou a informação errada, dizendo que o Diego que eles queriam estava lá, quando chegaram viram que era outro, mas mesmo assim eles atiraram, dizem que para não dar viagem perdida, eles atiraram simplesmente por ser um morador da área rival”, contou o delegado.

Além de Antônio Lucas Conceição da Silva, 18 anos, preso em flagrante momentos depois dirigindo o veículo usado na ação criminosa, a polícia agora busca por Leone, Fofão e De Menor, como são conhecidos os três suspeitos que conseguiram fugir. 

O corpo da garota foi sepultado na tarde de hoje no Cemitério Piedade. Pela manhã, amigos e familiares fizeram um protesto na Avenida Rio de Janeiro. Eles queimaram pneus, interrompendo o trânsito, e exibiram cartazes pedindo justiça e mais segurança na região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário