cv

cv

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

SELEÇÃO ARGENTINA ADOTA LEI DO SILÊNCIO APÓS DENÚNCIA CONTRA LAVEZZI

Após a vitória por 3 a 0 sobre a Colômbia, a primeira em cinco partidas nas eliminatórias, nem tudo foram flores para a Argentina. Ninguém menos do que Messi foi o porta-voz de um comunicado de que o time não vai falar com a imprensa, devido à denúncia, feita pelo jornalista argentino Gabriel Anello, de que o reserva Lavezzi teria consumido maconha na concentração.

- Preferimos aparecer todos e botar a cara do que mandar um comunicado, não temos que nos esconder. Estamos aqui para comunicar que tomamos a decisão de não falar mais com a imprensa e vocês sabem o porquê, não é? Fizeram muitas acusações, houve muita falta de respeito e nunca falamos nada. A acusação que fizeram a Pocho (Lavezzi) é muito grave. Porque se não fizermos nada, muitos vão acreditar. Preferimos cortar isso de uma vez. Lamentamos muito que tenha que ser assim, mas não vemos outro jeito. Faltaram o respeito. Pode perder, pode ganhar, podem opinar se jogamos bem ou mal, mas fazer acusações desse tipo... Não é a primeira... É muito grave. Não vamos entrar nesse jogo, não vão continuar dizendo um milhão de coisas. Está dito. Obrigado. - disse Messi, que leu o comunicado ao lado de todos os jogadores da seleção.

O pivô da polêmica havia usado as redes sociais para escrever:

- Lavezzi ficará fora do banco de reservas amanhã pelo cigarro de maconha que ele fumou à noite na concentração? Pergunto, só pergunto.


Antes mesmo do jogo com a Colômbia, o atacante dissera que vai processar o jornalista pelas 'falsas declarações'.



Nenhum comentário:

Postar um comentário