cv

cv

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Polícia identifica três suspeitos da morte de dentista, Rio

A Polícia Civil identificou três suspeitos de participar da morte da dentista Priscila Soares Nicolau dos Reis, de 37 anos, ocorrida na tarde da última segunda-feira, na Estrada de Furnas, no Itanhanga. De acordo com a delegacia Marcela Ortiz da Delegacia de Homicídios da Capital (DH), nesta terça-feira, policiais militares do 31º BPM prenderam dois homens que deixavam a mata que cerca a comunidade do Morro do Banco. Eles foram conduzidos à 16ª Delegacia (Barra da Tijuca). A delegada Marcela pediu a decretação das prisões temporárias de Ademilson Luiz Guedes Costa, Rafael Alves Peixoto e Douglas de Melo, que foram deferidas pela Justiça. Douglas está foragido.

A mulher, de 37 anos, foi morta ao tentar fugir de bandidos no Itanhangá, na Zona Oeste do Rio, na tarde desta segunda-feira. Criminosos escaparam de um cerco policial no Morro do Banco, no Itanhangá, e tentaram roubar o Kia Sorento de Priscila na Estrada de Furnas. A dentista teria se assustado e acelerado, o que levou os bandidos a abrirem fogo: o carro foi perfurado por pelo menos 17 disparos.

Enterro de Priscila Nicolau, na terça, foi marcado pela emoção Foto: Fabiano Rocha/ 01.11.2016 / Agência O Globo

Após análise das imagens de câmeras de segurança instaladas na comunidade, foi possível verificar que os dois homens conduzidos eram integrantes do bando que na segunda-feira atacou a base da Polícia Militar na parte alta do morro, com o objetivo de tomar o controle do tráfico de drogas no local. O delegado plantonista, com base nas provas, autuou em flagrante os dois homens, identificados como Ademilson Luiz Guedes Costa e Rafael Alves Peixoto pelo crime de associação ao tráfico de drogas.

O delegado Marcus Vinicius Braga, titular da 16ª Delegacia (Barra da Tijuca), realizou um trabalho integrado com a Delegacia de Homicídios, com intercâmbio de dados de inteligência. Foram realizadas diligências pela equipe da DH que comprovaram o envolvimento de Ademilson e Rafael na morte da dentista. Eles integravam o grupo composto por cerca de 15 pessoas, reunido por Douglas de Melo, conhecido como "Miguelinho".

A Polícia Civil pede informações sobre sua localização para entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) pelos telefones (21) 2334-8823 e 2334-8835 ou pelo chat. A denúncia também pode ser feita ao Disque Denúncia 2253-1177.

Nenhum comentário:

Postar um comentário