cv

cv

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

F. Gomes tenta supender sua impugnação

Jogada em uma crise política e sem saber quem vai comandar a cidade a partir de janeiro, Itabuna pode ver a premiação do maior ficha-suja de sua história, Fernando Gomes.

O ex-prefeito tenta conseguir uma liminar em Salvador para suspender o efeito da impugnação e, com isso, ser diplomado em primeiro de janeiro. Há boatos de "compra de sentença", até aqui não confirmados.

Os votos dele não foram computados na eleição, vencida oficialmente por Antônio Mangabeira (PDT), com o deputado estadual Augusto Castro em segundo lugar.

Uma resolução do TRE diz que, se o candidato impugnado não for julgado em última instância até a data da posse, a cidade será comandada pelo presidente da Câmara até que o TRE defina a data de uma nova eleição.

O problema é que a mesma resolução não explica como fica a situação caso o impugnado seja julgado em última instância (e perca) antes desta data. Para alguns advogados, o segundo colocado tomaria posse.

“Nós alertamos para essa situação durante a campanha, pois não queríamos que nossa cidade enfrentasse um quadro de indefinição política após as eleições”, afirma Augusto Castro.

Ele afirma que “as urnas não indicaram nosso nome e é com humildade e respeito que acolhemos esse resultado. A vontade do eleitor deve ser acatada”.

O tema foi debatido e repetido durante toda a campanha, mas muitos não entenderam. Ou não quiseram entender. E a nossa realidade é que hoje muitos municípios já sabem quem serão os prefeitos. Itabuna, não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário