A,M

A,M

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Com 28 anos de criado, Balé Folclórico movimenta Pelourinho

Ao completar 28 anos neste mês de agosto, o Balé Folclórico da Bahia (BFB) já se apresentou em mais de 200 cidades e 24 países, mas continua animando as noites do Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador (CHS). O Balé se apresenta das segundas-feiras aos sábados, sempre às 20h, no casarão nº 49 da Rua Gregório de Mattos, onde está o Teatro Miguel Santana. O imóvel é de propriedade estadual sob responsabilidade do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC).

“Antes de vir para o Pelourinho, o Balé não tinha sede, não tínhamos local de apresentação fixo, apenas uma sala alugada nos Barris. Passamos a ocupar esse casarão do IPAC em 2004”, conta Walson Botelho, diretor do BFB. Vinculado à secretaria de Cultura (SecultBA), o IPAC administra cerca de 350 unidades imobiliárias no CHS, dentre as quais, a casa do Balé. O imóvel tem três pavimentos com teatro, camarim, sanitários, sala de ensaio, lojinha e cabine de som e luz. Ao fundo, existe área a céu aberto com piso em pedra portuguesa que comporta eventos, com sanitários, bar e acesso para a Ladeira do Ferrão.

OCUPAÇÃO – A ocupação dos prédios do IPAC atende estratégias urbanístico-arquitetônicas de fomento à economia local, atividades consulares, comerciais, culturais e artísticas, visando gerar dinamismo local. “A ocupação e utilização desses imóveis é muito importante, pois reflete na conservação dos mesmos, já que as edificações vazias têm maior chance de arruinamento”, afirma o chefe de gabinete do IPAC, Ivan de Souza Teixeira.

O parque imobiliário de responsabilidade do IPAC tem 226 imóveis na zona tombada do CHS e corresponde a apenas cerca de 2% do total da região. O restante de 98% dos imóveis é de propriedade da Prefeitura de Salvador, governo estadual, privados e, principalmente, irmandades e ordens religiosas da Igreja Católica. Na casa da Rua Gregório de Mattos, o BFB oferece cursos gratuitos, como o Balé Junior, projeto que tem 15 anos com aulas de balé, dança moderna, afro e ginástica rítmica para cerca de 300 crianças e adolescentes.

LIVRO – Para comemorar seus 28 anos, o Balé lança um livro no próximo dia 24 de agosto, às 20h, no Convento do Carmo, também no CHS. São 280 páginas com fotos de Marisa Vianna, Isabel Gouvêa, Vinícius Lima, Artur Ikishima, Paulo Sousa, Andrew Eccles Philip Martin e Wendell Wagner. O Balé ganhou a categoria de melhor companhia de dança do país em 1990 pelo ‘Fiat do Brasil’ e venceu o Prêmio Mambebão do Ministério da Cultura como a melhor pesquisa em cultura popular e melhor preparação técnica em 1996.

“Os artistas se mostram satisfeitos com a estrutura do Balé. É uma conquista sobreviver 28 anos no cenário brasileiro e baiano”, destaca Walson Botelho. Mais informações sobre o BFB no site www.balefolcloricodabahia.com.br. Sobre o IPAC, acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, instagram ‘@ipac.patrimônio’ e twitter ‘@ipac_ba’.

Nenhum comentário:

Postar um comentário