cv

cv

terça-feira, 26 de julho de 2016

Falsas mortes de famosos circulam na web, assustam e divertem leitores

No mundo das estrelas, quanto mais popular for um artista, mais será alvo de fofocas e teorias da conspiração. Tem história de cantora que teria fingido gravidez ou outro que forjou a própria morte. Falando nisso, tem uns artistas que teriam morrido e substituídos por sósias em ações de empresários gananciosos que preferem enganar o mundo inteiro a perder contratos milionários.

Algumas dessas histórias são tão ricas em detalhes que quase se tornam críveis. As provas não existem, mas quem acredita vê mensagens subliminares em imagens e músicas. E você, o que acha? Confira algumas delas!
PUBLICIDADE




(Foto: Jefferson Peixoto/Ag. Max Haack/Divulgação)


Wesley Safadão
“Se vocês soubessem o que aconteceu no dia 10 de março ficariam enojados”. Assim começa a história contada pelo fã de Safadão Hilan Diener sobre a suposta morte do cantor. Nessa data, em 2015, o ônibus da banda dele sofreu um acidente. Para o rapaz, Wesley teria morrido e, para não perder contratos milionários, seus empresários o substituíram por Nathan, vocalista da banda Safadões do Forró e que guarda algumas semelhanças físicas com o cearense.

Depois disso, Nathan passou a dar dicas da história em músicas e no seu estilo. Segundo o autor da história, ele usa muito preto para mostar a obscuridade do show business. A música Aquele 1% também seria uma prova, pois diz que o cantor é 99% anjo. Tudo foi negado por Safadão, que disse ser primo de Nathan e pelo próprio Hilan, que contou ter feito uma brincadeira. Será? 

Miley Cirus
Existem duas versões para essa história, inspiradas pelas mudanças de comportamento da cantora após o fim da série Hannah Montana, em que vivia a protagonista. Para quem não lembra, Hannah era uma adolescente que precisava lidar com a fama mundial.



(Foto: Divulgação)


A primeira história diz que Miley se matou depois do fim da série, triste porque não viveria mais a protagonista. A outra é mais macabra e conta que a ela teria sido abandonada em um deserto por empresários da Disney por não concordar com termos de seu contrato.

O fato de Miley ter dito que Hannah estava morta em uma entrevista causou ainda mais burburinho. Quem acredita jura que as mudanças físicas e de comportamento são provas cabais e ignoram o amadurecimento da garota que viveu sob holofotes e cresceu diante das câmeras. Coisa de fã infeliz com mudanças de seu ídolo, claro. 

Anitta
A história da cantora carioca é a versão brasileira do conto trágico de Avril Lavigne. Assim como a canadense, depois de estourar com apenas 18 anos, Anitta teria se cansado da rotina de shows, entrevistas, da pressão da fama, de ser uma estrela e teria se desesperado.



(Foto: Divulgação)


Em seguida, procurou seus pais e, como não os encontrou em casa, se matou. A história continua da mesma forma: os empresários da cantora, evitando perder os contratos milionários, deram um jeito de substituir Anitta por uma sósia.

As questões levantadas são as mesmas, principalmente as mudanças visuais e de estilo do início da carreira em diante, além de versos de músicas. Só que essa teoria é uma das mais fáceis de derrubar. Afinal de contas, todo mundo sabe das diversas cirurgias e procedimentos estéticos que Anitta já fez e que não faz questão de esconder. 

Paul McCartney
Essa é uma das mais antigas histórias do tipo. Segundo conspiradores, Paul teria sofrido um acidente fatal em novembro 1966.



(Foto: Divulgação)


Nesse ano, o grupo lançou o álbum Revolver e parou de apresentar ao vivo por conta dos arranjos difíceis das músicas. Juntou-se a isso um real acidente de Paul, sem complicações, que abriu brecha para o boato se espalhar no mundo inteiro em uma época sem internet.

Quem acredita acha que os Beatles começaram a dar pistas da história. Na capa do disco Revolver, por exemplo, os quatro aparecem desenhados, o que seria uma tentativa de não denunciar o sósia. Em Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, a foto da capa representaria o velório de Paul, tem um contrabaixo de flores no chão e apenas três cordas, simbolizando a ausência do quarto integrante. Verdade ou não, parece que os meninos de Liverpool se divertiam com essa história. 

Avril Lavigne
Volta e meia essa história ressurge nas redes sociais. Replicada inúmeras vezes por blogs diversos, diz que a cantora não teria suportado a pressão do sucesso, fama, muitos shows, dinheiro e glamour e teria se matado em 2003, antes de lançar seu segundo álbum.



(Foto: Divulgação)


Para não perder contratos milionários, o empresário da canadense resolveu trocá-la por uma sósia, que apesar de muito parecida teria diferenças perceptíveis aos mais atenciosos.

A substituta teria dado pistas da morte em canções lançadas nos álbuns posteriores. Uma das principais justificativas seriam as mudanças sofridas pela jovem. Mas quem inventou a lenda esquece que Avril tinha apenas 18 anos quando lançou o primeiro disco e ignorou que pessoas crescem e mudam de aparência e ideias. Só tem uma coisa que Avril precisa responder para todos nós: como faz para se manter jovem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário