cv

cv

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

EI cria lei que determina a execução de bebês com síndrome de Down

O Estado Islâmico volta a demonstrar o total terror de suas regras, desta vez o grupo lançou uma lei (fatwa) onde diz que bebês com síndrome de Down ou outras deficiências devem ser mortos, de acordo com a Musul Eye, uma ong que divulga os fatos da região de Mosul, no Iraque.
A entidade afirma que "os integrantes do Estado Islâmico estão autorizados a matar recém-nascidos com síndrome de down, malformações congênitas e crianças deficientes". O EI é conhecido pela violência usada em suas execuções como decapitações, incendiamentos. Além dos ataques terroristas, do treinamento de crianças, da derrubada de aviões.

De acordo com o IG, essa lei é baseada em uma prática extermínio usada na Alemanha Nazista, e foi estabelecida por Abu Said Aljazrawi, um dos juízes do Estado Islâmico, por meio de uma "fatwa oral". 

A ONG contou que descobriu a nova lei após investigar e confirmar a execução de 38 bebês com síndrome de down ou algum outro tipo de deficiência, as crianças tinham entre uma semana e 3 meses de idade.

Segundo a organização, os bebês morreram sufocados ou por injeção letal, na Siria e no Iraque. "Como se não fosse suficiente para o Estado Islâmico matar homens, mulheres e idosos, agora eles também matam crianças", resslatou a "Mosul Eye" em nota. 

Durante a Segunda Guerra Mundial, o programa Aktion T4 pregava a morte de indivíduos com problemas motores e mentais. De acordo com arquivos sobre o período, cerca de 200 mil foram assassinados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário