cv

cv

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Bancada do PT decide votar pela continuidade do processo de Cunha

Em reunião nesta quarta-feira (2) , a bancada do PT decidiu que os três integrantes do partido no Conselho de Ética - Zé Geraldo (PT-PA), Leo de Brito (PT-AC), e Valmir Prascidelli (PT-SP) - votarão a favor da continuidade do processo que investiga o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A decisão foi anunciada pelos três parlamentares e outros deputados petistas que participaram da discussão.

O voto do PT é considerado decisivo para que as investigações continuem, já que o placar no Conselho de Ética está apertado.

Os deputados do PT sofriam pressão do governo para apoiar Cunha e evitar, com isso, que o peemedebista abrisse processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Ao mesmo tempo, a direção do partido e mais da metade da bancada exigiam a continuidade das investigações. A avaliação deste grupo era de que o desgaste político em apoiar o presidentes Câmara seria muito grande. Além disso, o partido poderia se tornar alvo permanente de chantagem.

Pesava também o fato de que o governo quer aprovar a redução da meta fiscal para 2015 em sessão do Congresso. Entrar em confronto com Cunha pode prejudicar o interesse do governo na votação.

"A posição de bancada é pela admissibilidade. Isso será comunicado ao governo. E o governo começa a se virar para aprovar a redução da meta fiscal. O partido tomou essa decisão. Nós agora vamos seguir lá decisão da bancada do partido. Já era uma tendência nossa. Só que agora a bancada assume uma responsabilidade", disse o deputado Zé Geraldo, que mais cedo havia dito que vivia um "dilema".

“Nós agora, nós três, vamos votar expressando a decisão da bancada do PT. Nós ontem à noite nos reunimos e cobramos uma posição do partido, uma posição do governo, no sentido de mobilizar sua base para votar projetos importantes para o Brasil e cobramos uma posição unificada para ajudar tomarmos essa decisão”, disse Zé Geraldo.Os três integrantes petistas do Conselho de Ética disseram que exigiram uma posição da bancada do partido, para não sofrerem sozinhos o desgaste de votar a favor ou contra o parecer que recomenda a continuidade das investigações.

O Conselho de Ética se reúne na tarde desta terça pelo segundo dia consecutivo na tentativa de votar parecer do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) pela continuidade do processo por quebra de decoro. Aliados de Cunha tentam inviabilizar a votação fazendo retirados questionamentos ao presidente do colegiado. Nesta terça, a sessão durou 6 horas e não houve votação, apenas discussões e discursos.

Segundo petistas ouvidos pelo G1, a decisão da bancada do PT pela continuidade das investigações de Cunha não foi unânime. Alguns deputados defenderam que era melhor evitar atrito com o presidente da Câmara, para garantir que ele rejeite pedidos de impeachment que tramitam na Casa.

Há meses Cunha segura a decisão sobre os pedidos de afastamento de Dilma, para ter margem de negociação e tentar evitar a cassação do próprio mandato.O peemedebista é acusado de mentir à CPI da Petrobras quando disse, em março, que não possui contas bancárias no exterior. Documentos do Ministério Público da Suíça revelaram, porém, a existência de contas relacionadas a Cunha. O presidente da Câmara diz ser "usufrutuário" de ativos mantidos na Suíça e administrados por trustes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário