A,M

A,M

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Agora sem tetos, moradores do Vilela vivem angustia de promessa não cumprida e descaso da prefeitura de Ilhéus

Crianças dormem enquanto os pais vigiam e sofrem com a situação de suas famílias. O Local ficou completamente encharcado na madrugada de sábado (19).

Móveis das famílias foram jogados por prepostos da prefeitura, na porta do estádio, e ficaram por 24 horas esperando que alguém abrisse os portões.

Quem passou neste sábado pela av. Oswaldo Cruz, centro de Ilhéus, viu, na porta do estádio Mário Pessoa, móveis abandonados nas calçadas, por mais de 24 horas. Isso é um reflexo na falta de organização da prefeitura de Ilhéus, na retirada e desocupação das casas do programa Habitar Brasil, no bairro Teotônio Vilela.

Em bate papo com uma mãe “sem teto”, ela foi enfática ao dizer que a prefeitura teve mais de quatro meses para cadastrar os moradores, preparar o aluguel social, ou direcioná-los para outros programas sociais. Mas o que se vê é um total descarte dos moradores no estádio Mário Pessoa, em condições sub humanas.

Para piorar a situação, neste sábado(19), o local onde estão alojadas as famílias, embaixo das arquibancadas do estádio, ficou completamente encharcado, molhando colchões e roupas.

Segundo informações, um funcionário da prefeitura ligou a bomba d’água e esqueceu de desligar. “Cada dia que passa, é um dia de angustia, e a incerteza se o futuro terá um final feliz”, relatou uma mãe.


agravo

Nenhum comentário:

Postar um comentário