cv

cv

sábado, 21 de novembro de 2015

No dia da consciência negra, o pré-candidato à Prefeitura de Salvador pelo PSOL afirma que Rui Costa implementa um modelo de Segurança Pública falido‏

No dia de comemoração ao mês da consciência negra, o pré-candidato à Prefeitura de Salvador pelo PSOL, Fábio Nogueira, lembrou do quadro de violência que atinge a população baiana e a política de extermínio da juventude negra implementado pelo Governo da Bahia. 

O sociólogo diz lamentar o fato do Governador Rui Costa, nascido e criado em bairro popular, Liberdade, local considerado como referência da negritude no Estado, adotar e aprofundar o modelo de Segurança Pública falido do ex-governador Jacques Wagner. “ A atual política de guerra às drogas, de militarização da polícia e ausência dos direitos humanos tem tornado a Bahia um dos Estados com as mais altas taxas de homicídios do país”, explicou. 

De acordo com ele, este modelo de Segurança Pública já foi implementado em São Paulo e Rio de Janeiro e não conseguiu obter êxito. “ A política do PT na Bahia, na área de Segurança Pública, possui muita similaridade com a implementada em São Paulo e Rio de Janeiro”, pontuou Nogueira, lembrando do processo de surgimento da organização criminosa PCC nesse período. 

Para o sociólogo, no caso da Bahia, é notório a superlotação dos presídios, o pouco investimento nos espaços de ressocialização dos menores, o aumento da violência e do toque de recolher nos bairros da periferia. “O policial também é vítima desse modelo de Segurança Pública”, destaca. Entretanto, o pré-candidato à prefeitura de Salvador salienta que a função do policial é garantir o direito à segurança e não fazer guerra às drogas e aos pobres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário