A,M

A,M

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Comércio e postos de saúde permanecem fechados após toque de recolher em 4 bairros de Salvador

Comerciantes dos bairros de Santa Mônica, Pero Vaz, IAPI e parte da Liberdade mantiveram as lojas fechadas durante a tarde desta quarta-feira (11), após baixarem as portas pela manhã, depois do anúncio de um toque de recolher, ordenado por traficantes da região, após a morte de um homem na noite de terça-feira na Santa Mônica, durante troca de tiros com a Polícia Militar. Três postos de saúde também paralisaram os atendimentos.

Além do fechamento do comércio e das unidades médicas, o toque de recolher afetou as aulas em escolas municipais e estaduais dos três bairros. Segundo informações da Secretaria Municipal de Educação (Smed), 18 escolas que atendem aos bairros mantiveram o funcionamento ao longo do dia, mas registraram baixa frequência de estudantes.

Toque de recolher no Pero Vaz: comércio fechado e ruas esvaziadas
(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)


A Smed também informou que as escolas funcionarão normalmente nesta quinta. Já a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC) disse, em nota, que “as unidades escolares funcionaram com baixa frequência” e que “já acionou a Ronda Escolar para garantir a segurança da comunidade escolar”. 

O pai de um aluno relatou ao CORREIO ter visto quando dois suspeitos ordenaram o fechamento de um estabelecimento no Pero Vaz. “Deixei meu filho na escola e, na volta, vi dois caras em uma moto fazendo sinal para os comerciantes fecharem as portas. Pouco tempo depois estava tudo fechado”, contou, sem revelar o nome.

Um comerciante, que não chegou a ser 'intimado' pelos suspeitos a fechar sua loja, preferiu não arriscar. “Eu cheguei a abrir o mercadinho, mas por volta das 8h50 os colegas começaram a baixar as portas, dizendo que era toque de recolher. Depois disso o bairro ficou deserto”, relatou um comerciante também do Pero Vaz, sob anonimato. 

Quem precisou de atendimento médico e procurou a Unidade de Saúde da Família de Santa Mônica, a UPA de San Martin e o Centro de Saúde Bezerra Lopes, na Liberdade, encontrou as unidades fechadas. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), para garantir a segurança de pacientes e funcionários, os atendimentos nas unidades de saúde foram suspensos. A secretaria informou que a reabertura dos postos ocorrerá após a normalização da segurança nos bairros.

Por conta do clima de insegurança, o final de linha dos bairros Santa Mônica, IAPI e Pero Vaz, além do Pau Miúdo, foram modificados. De acordo com Hélio Ferreira, presidente do Sindicato dos Rodoviários, as paradas finais foram modificadas para garantir a segurança dos passageiros e rodoviários.

“Nosso primeiro posicionamento foi mudar os finais de linha e colocar nos locais mais afastados. Também desviamos alguns desses itinerários para passar um pouco mais distante dos locais onde ocorreram a situação. O sindicato está avaliando e se for necessário, orientaremos o recolhimento dos ônibus”, explicou. 

Segundo um motorista que não quis ser identificado, pela manhã, motoristas pararam no final de linha do Santa Mônica foram ameaçados. “Pela manhã, dois homens chegaram em uma moto e disseram que não era para parar no final de linha. Quem parasse eles iam botar fogo nos ônibus. Por conta disso antecipamos o local da parada para a frente do condomínio Conjunto Bahia”, relatou. 

Sobre a mudança do itinerário dos ônibus, a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) informou que “as empresas não foram multadas e sim autuadas, para que voltem a cumprir o itinerário”. Além disso, a Semob também informou que solicitou à Secretaria de Segurança Pública (SSP) “um reforço policial nos finais de linha desses bairros para que a situação se normalize”. Questionado, o presidente do Sindicato dos Rodoviários informou que ainda não ter conhecimento das autuações. 

Troca de Tiros
Segundo informações da Polícia Militar guarnições do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM-Liberdade) faziam rondas pela rua Mário Kertész, em Santa Mônica, quando foram recebidas a tiros por cerca de 15 homens armados. Ao revidarem a ação dos suspeitos, um homem identificado apenas como Augusto, foi baleado e morto. Germínio Souza Barreto, 21 anos, também suspeito, foi atingido no pé esquerdo, sendo socorrido para o Hospital Ernesto Simões Filho, onde foi medicado e preso. Vitor Vinícios da Silva de Oliveira, 21, também foi preso durante a ação da polícia.

Ainda conforme a PM, Augusto é apontado como traficante da região e que o toque de recolher teria sido ordenado por comparsas do suspeito. A Polícia Civil, no entanto, informou que os antecedentes criminais dos suspeitos ainda não foram levantados, e que o caso será investigado pelo titular da 3ª Delegacia de Homicídios, delegado Reinaldo Mangabeira.

Em nota, a PM informou que com os suspeitos foram encontrados um revólver calibre 38, uma pistola 380, trouxas de maconha, pedras crack e cocaína. O material apreendido, ainda segundo a Polícia Militar, foi apresentado ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), e o auto de resistência também foi registrado na Corregedoria da Polícia Militar. 

Sobre a segurança nos bairros, a PM informou que o policiamento foi intensificado na manhã desta quarta com guarnições da 37ª CIPM, responsável pela segurança na região, e o apoio da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT-C)/ Rondesp Central, da Operação Gêmeos e da Operação Apolo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário